top of page

✅ POSITIVO/ CAMARAGIBE FORA DA LISTA DE CIDADES COM MAIOR ÍNDICE DE VIOLÊNCIA EM JUNHO

Ao longo do mês, seis trabalhadores informais foram baleados no Grande Recife, segundo Instituto Fogo Cruzado


Junho trouxe preocupação para os trabalhadores informais da região metropolitana do Recife. Ao longo do mês, seis deles foram vítimas da violência armada: entre as vítimas, três entregadores/motoboys, um motorista de aplicativo, um mototaxista e um vendedor ambulante foram baleados no Grande Recife, segundo o Relatório Mensal do Instituto Fogo Cruzado. O número indica que mais de um trabalhador foi baleado por semana.


O alerta para a violência armada contra trabalhadores informais acontece no mesmo ano em que, no primeiro trimestre, Pernambuco teve a segunda maior taxa de desemprego do Brasil (14,1%), segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


“Num contexto em que a informalidade é uma saída para a sobrevivência, além da falta de proteção das leis trabalhistas, em Pernambuco há o risco de morte, ou seja, a falta de segurança. Além disso, a alta circulação de armas nas mãos de civis aumenta o risco de vitimização. É preciso criar políticas públicas que assegurem um vínculo empregatício mais seguros, e esses dados evidenciam o problema da segurança no estado. Melhorar os mecanismos de fiscalização das armas que circulam em Pernambuco deveria estar entre as prioridades do governo estadual”, diz Ana Maria Franca, Coordenadora Regional do Instituto Fogo Cruzado em Pernambuco. Ana destaca que “a falta de vínculo empregatício, entre outras coisas, não garante suporte aos trabalhadores vítimas das armas de fogo”.


Violência dentro de bares

Três pessoas foram baleadas quando estavam dentro de bares na Região Metropolitana do Recife em junho. Entre as vítimas, um Policial Militar reformado foi baleado no dia 15 ao reagir a uma tentativa de assalto quando estava em um bar na Rua Adalto Barbosa de Souza, no bairro da Liberdade, em Moreno.


O mês em dados

Ao longo do mês de junho, 124 tiroteios/disparos de arma de fogo ocorreram na Região Metropolitana do Recife, segundo Relatório Mensal do Instituto Fogo Cruzado. Número indica um aumento de 25% em comparação com junho de 2022, que acumulou 99 registros.


Ao todo, 152 pessoas foram baleadas no Grande Recife, sendo que 97 delas morreram e 55 ficaram feridas. O número de mortos apresentou aumento de 2%, já o de feridos, aumento de 139% em comparação com junho de 2022, quando, dos 118 baleados, 95 morreram e 23 ficaram feridos.


Em comparação com o mês de maio, que acumulou 160 tiroteios, deixando 178 baleados (sendo 127 mortos e 51 feridos), junho apresentou queda de 23% nos tiroteios, queda de 24% entre os mortos e aumento de 8% entre os feridos.


Entre as datas mais impactadas pela violência armada neste mês que passou, os dias 4 e 27, concentraram o maior número de tiroteios, com nove registros, cada. O dia 27, com nove vítimas, concentrou o maior número de mortos. E o dia 25, com sete atingidos, concentrou o maior número de feridos.


Dos 124 tiroteios mapeados ao longo de junho, em 98% deles houve mortos e/ou feridos.


O mapa da violência armada

Municípios

Entre os municípios mapeados pelo Instituto Fogo Cruzado, os mais afetados pela violência armada em junho foram:

  • Recife: 49 tiroteios, 33 mortos e 28 feridos

  • Olinda: 17 tiroteios, 13 mortos e 4 feridos

  • Jaboatão dos Guararapes: 17 tiroteios, 12 mortos e 7 feridos

  • Cabo de Santo Agostinho: 9 tiroteios, 9 mortos e 5 feridos

  • Paulista: 9 tiroteios, 8 mortos e 1 ferido

Bairros

Entre os bairros, os mais afetados pela violência armada foram:

  • Muribeca (Jaboatão dos Guararapes): 6 tiroteios, 4 mortos e 2 feridos

  • Barra da Jangada (Jaboatão dos Guararapes): 5 tiroteios, 3 mortos e 3 feridos

  • Dois Unidos (Recife): 4 tiroteios, 3 mortos e 3 feridos

  • Pau Amarelo (Paulista): 3 tiroteios e 3 mortos

  • Jordão (Recife): 3 tiroteios, 2 mortos e 2 feridos

  • Iputinga (Recife): 3 tiroteios, 2 mortos e 1 ferido

  • Prado (Recife): 3 tiroteios, 2 mortos e 1 ferido

  • Passarinho (Recife): 3 tiroteios, 2 mortos e 1 ferido

  • Boa Vista (Recife): 3 tiroteios, 1 morto e 2 feridos

O perfil da violência armada

Entre os 97 mortos na região metropolitana em junho, 86 (89%) eram homens e 11 (11%) eram mulheres. Entre os 55 feridos, 44 (80%) eram homens e 11 (20%) eram mulheres.

Em junho, cinco pessoas foram mortas a tiros quando estavam dentro de casa (quatro homens e uma mulher). Em junho de 2022, 17 pessoas foram baleadas dentro de casa: 15 morreram (14 homens e uma mulher) e duas ficaram feridas (um homem e uma mulher).

Houve cinco casos de homicídios múltiplos na Região Metropolitana do Recife em junho, resultando na morte de 10 pessoas. Em junho de 2022, houve seis casos que resultaram na morte de 14 pessoas.


Cinco pessoas foram baleadas durante roubos/tentativas de roubo: duas morreram e três ficaram feridas. Em junho de 2022, também houve quatro pessoas baleadas durante roubos/tentativas de roubo: todas morreram.

Uma criança foi morta a tiros em junho no Grande Recife. No mesmo período de 2022 também houve uma criança morta a tiros.


15 adolescentes foram baleados no mês de junho no Grande Recife: nove deles morreram e seis ficaram feridos. Em junho de 2022, 12 adolescentes foram baleados: 10 deles morreram e dois ficaram feridos.


Não houve idosos baleados no Grande Recife em junho deste ano. Em junho de 2022, um idoso foi morto e outro ficou ferido por arma de fogo.


Cinco pessoas foram vítimas de balas perdidas no Grande Recife: todas sobreviveram. Em junho de 2022, oito pessoas foram vítimas de balas perdidas: todas sobreviveram.

Uma mulher foi morta ao ser vítima de feminicídio no Grande Recife. Em junho de 2022 não houve vítimas de feminicídio/tentativa de feminicídio por arma de fogo no Grande Recife.

Em junho, três agentes de segurança foram baleados no Grande Recife: dois morreram e um ficou ferido. Em junho de 2022 não houve agentes de segurança baleados no Grande Recife.


Entre os 97 mortos na região metropolitana em junho, 42 eram negros, 16 eram brancos, um era amarelo e 39 não tiveram a cor/raça revelada. Entre os 55 feridos, cincoo eram negros, um era branco e 49 não tiveram a cor/raça revelada.




152 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page