top of page

O que são ácaros?


Os ácaros pertencem a uma subclasse de aracnídeos. Existem quase 50.000 espécies descritas de entre um total entre 100.000 a 500.000 espécies que ainda não foram classificadas. A maioria são animais microscópicos, não são visíveis ao olho humano - os ácaros domésticos medem entre 0.2 a 0.5 milímetros.

Os ácaros de armazenamento são uma ampla gama de famílias, géneros e espécies, que se encontram principalmente em alimentos armazenados, cereais, farinhas, celeiros e feno. Mas estes ácaros também podem estar no pó doméstico e, por isso, a exposição a estes ácaros também pode ocorrer em casa, em especial se houver problemas de humidade.

Os ácaros convivem com o ser humano e é interessante notar que os ácaros em si são inofensivos para o ser humano, sendo os seus resíduos fecais que possuem um grande poder alergénico.

Os ácaros alimentam-se preferencialmente de partículas resultantes da descamação da pele humana e dos animais domésticos, fungos e outros produtos orgânicos. Eles estão presentes de uma forma quase constante e universal nas nossas habitações, mas ainda que estejam presentes de forma aleatória em toda a casa, é nos locais onde existe maior concentração de detritos humanos que os ácaros atingem um número mais significativo, nomeadamente: colchões, almofadas, cobertores e cobertas de cama, alcatifas, sofás, tapetes ou cortinas espessas.


Tipos de ácaros

Devido à diferente morfologia que apresentam as múltiplas espécies, podemos encontrar ácaros adaptados a viver em quase todos os habitats do planeta. O intervalo de temperatura para a sua reprodução é muito amplo (5ºC - 30ºC) embora a temperatura ótima ronde os 20ºC.

Apesar de tudo, calcula-se que apenas cerca de 25 espécies de ácaros estejam relacionadas com as doenças alérgicas no ser humano. Os ácaros implicados com mais frequência em patologia alérgica pertencem aos Astigmata, sendo que destes unicamente 3 super-famílias são responsáveis por causar problemas alérgicos:

  • Pyroglyphoidae: a esta família pertencem os Dermatophagoides pteronyssinus, Dermatophagoides farinae e Euroglyphus maynei, que são sem dúvida os indutores da maioria das sensibilizações alérgicas na Europa e Estados Unidos da América;

  • Glycyphagodae: Lepidoglyphus destructor e Blomia tropicalis são cada vez mais reconhecidos como responsáveis de quadros alérgicos em Portugal continental e nas ilhas, respetivamente;

  • Acaroidae: o Acarus siro e Tyrophagus putrescentiae são as espécies principais relacionadas com situações de alergia dentro desta família.

As condições ambientais que influenciam a presença de ácaros são a temperatura e a humidade. O seu ciclo de crescimento (desde ovo até adultos) é de 25 dias a 25ºC, e a maioria dos ácaros vive cerca de 3 meses, ao longo dos quais depositam ovos que podem conter cerca de 20 a 40 novos ácaros.

As temperaturas ótimas para os ácaros domésticos rondam os 20-30ºC. A humidade relativa ótima para o D. pteronyssinus é superior a 75% e para o D. farinae oscila entre 50 e 60%. A proliferação dos ácaros nestas condições é mais rápida. Assim sendo, embora os ácaros estejam presentes durante todo o ano, os meses de primavera e outono, pelas condições de temperatura amena e elevada humidade relativa, são os que favorecem melhores e maiores condições convenientes à reprodução dos ácaros. A baixa altitude e proximidade a zonas marítimas e/ou fluviais são fatores que também resultam em concentrações mais elevadas, e ainda maiores se houver presença de fungos.


49 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page