top of page

HOMEM QUE MATOU POLICIAIS EM TABATINGA NÃO ERA CAC

ao contrário das declarações do secretário, a polícia afirma que o indivíduo suspeito de ter causado a morte de dois policiais militares durante o tiroteio que desencadeou uma série de assassinatos em Camaragibe, no Grande Recife, não foi registrado como um Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC). Esta informação, revelada pela delegada Simone Aguiar, que liderou a Polícia Civil de Pernambuco, contrariamente ao que foi dito pelo secretário estadual de Defesa Social, Alessandro Carvalho, em 15 de setembro (consulte o vídeo acima).


"A princípio, a informação era de que Alex era um CAC. No entanto, após verificarmos os sistemas e as respostas do Exército, descobriu que ele não era um CAC. Ele tinha registrado sua arma no Sinarm [Sistema Nacional de Armas da Polícia Federal ]", afirmou a delegada Simone Aguiar durante entrevista à TV Globo.


A afirmação de que Alex era um CAC foi divulgada pelo secretário durante uma coletiva de imprensa para discutir o caso, que resultou na morte de oito pessoas em pouco mais de 12 horas (veja a cronologia abaixo). Na ocasião, o gestor declarou que Alex “era um CAC, era atiradores”. A arma que ele usou era uma pistola calibre 9 milímetros com mira a laser.

"Foi a Polícia Federal que concedeu a autorização para portar [a arma]. Ele não era um CAC. Inicialmente, a informação de que ele era um CAC surgiu porque ele tinha uma pistola de 9 milímetros, pois até recentemente, apenas policiais federais, "Os policiais rodoviários federais e CACs podiam possuir pistolas de 9 milímetros. No entanto, houve uma permissão por um tempo, permitindo que algumas pessoas que não eram colecionadoras tivessem esse registro para pistolas de 9 milímetros", explicou Simone Aguiar.


De acordo com o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, a arma estava registrada desde 6 de julho de 2022, e não havia "nenhuma suspeita" sobre esse registro, uma vez que Alex da Silva Barbosa, que não tinha antecedentes criminais, já havia trabalhado como vigilante.





122 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page