top of page

CAMPANHA DE COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NOS BANCOS

Sindicato lança campanha de combate ao assédio moral e sexual nos bancos


O Sindicato dos Bancários de Pernambuco lança, nesta quarta-feira (7/6), a Campanha de Combate ao Assédio Moral e Sexual nos bancos, com a realização de um ato público na Imbiribeira, em frente ao Edf. Itacaré do Banco do Brasil, a partir das 7 horas. A campanha tem como objetivo incentivar a denúncia da prática de assédio e alertar sobre o alto índice de adoecimento físico e mental dos bancários, que traz impactos para a saúde dos trabalhadores e também para o atendimento à população.

Em junho, as atividades nos bancos estarão concentradas na Região Metropolitana do Recife. A partir de julho, os atos públicos serão ampliados para o Interior do Estado, durante a Caravana dos Bancários. O calendário de atividades prevê a realização de atos semanais, nas agências e departamentos dos seis principais bancos de atuação no Estado (Bradesco, Santander, Itaú, Caixa Econômica, Banco do Brasil e Banco do Nordeste), além da veiculação de mídia externa em Outdoor/Outbus, campanha nas redes sociais, distribuição para categoria de uma cartilha de enfrentamento ao assédio e, na fase final, inserções de vídeo e spots de rádio.

“A pressão para o cumprimento de metas, por meio da prática de assédio nos bancos, tem aumentado significativamente e como consequência o número de casos de transtornos psicológicos e LER/Dort (lesões por esforço repetitivo) cresceu na categoria. Essa rotina vivida pelos bancários gera muito sofrimento e adoecimento para os trabalhadores, nas agências, áreas meio e Postos de Autoatendimento. Então, queremos incentivar os bancários a denunciarem os casos de assédio e sensibilizar a sociedade, porque com bancários adoecidos e trabalhando sob pressão, o atendimento à população sofre uma piora inevitável”, explica o presidente do Sindicato, Fabiano Moura.

Em Pernambuco, em 2022, o Sindicato dos Bancários de Pernambuco registrou a emissão de quase 500 comunicações de acidente de trabalho (CAT). Em todo o país, de 2012 a 2021, 42.138 bancários receberam benefício acidentário do INSS e outros 156.670 foram afastados por doença comum. Porém, cerca de 54% destes benefícios comuns referiam-se a doenças características do trabalho bancário, como transtornos mentais e LER/Dort.

Desde 2013, transtornos mentais e comportamentais se tornaram a principal causa de afastamentos na categoria bancária. De 2012 a 2021, no conjunto total dos trabalhadores, transtornos mentais foram responsáveis por 5% dos afastamentos por acidentes de trabalho e por 10% dos decorrentes de doenças comuns. Os dados são do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, compilados pelo Dieese.

“Os dados são alarmantes e consideramos muito grave que os bancos tenham transformado o adoecimento num instrumento de demissões e descomissionamentos, promovendo assim o assédio moral institucional. Então, com a campanha reafirmamos o nosso compromisso com a defesa do direito à saúde do trabalhador e vamos seguir atuando para combater o assédio e reverter demissões arbitrárias”, conclui Fabiano Moura.


1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page